XForms 1.1

A 20 de Outubro último foram publicadas as recomendações do consórcio web relativamente às XForms 1.1 (anúncio aqui).
Noutra altura fiz uma pequena introdução ao uso das XForms que podem consultar aqui.

“Forms are an important part of the Web, and they continue to be the primary means for enabling interactive Web applications. Web applications and electronic commerce solutions have sparked the demand for better Web forms with richer interactions. XForms is the response to this demand, and provides a new platform-independent markup language for online interaction between a person (through an XForms Processor) and another, usually remote, agent.”

in http://www.w3.org/News/2009#entry-8633

Sinceramente acho o conceito/filosofia adequado às necessidades das aplicações de hoje.
O princípio de nunca confiar no input do utilizador conduz a um processamento/validação de dados cada vez mais minucioso. Pessoalmente não restrinjo esta validação ao lado do cliente. Preciso garantir que caso esta seja contornada, ainda assim os dados serão alvo de validação do lado do servidor, o que pode parecer redundante e desnecessário mas, na minha opinião, é uma preocupação válida.

Com as XForms esta tarefa fica muito simplificada/facilitada.
Resta aguardar pela sua implementação nos browsers modernos, sem que haja necessidade de pulgins ou addons.

W3C com casa nova

W3C.org

W3C.org

O World Wide Web Consortium (W3C) mudou recentemente o seu velhinho site.
Ainda não chegou à era HTML5, mas com a simplicidade que lhe é característica julgo que conseguiram um resultado muito bom e visualmente apelativo.
Ainda digno de destaque a existência de uma versão mobile.

Para que não restem dúvidas que estes senhores não andam a pregar aos peixes atentem nos resultados da validação html e css.

XForms

Este ano (que vai no fim) celebram-se os 10 anos da publicação do formato XML (10 de Janeiro de 2008) que o World Wide Web Consortium está a celebrar.

“There is essentially no computer in the world, desktop, handheld, or backroom, that doesn’t process XML sometimes…”
Tim Bray

Este lançamento mexeu com a forma de “fazer a web“: o HTML deu lugar ao XHTML (passou a recomendação do W3C em 26 de Janeiro de 2000), sendo este:

  • mais rigoroso e limpo que o HTML
  • e na sua essência, não mais do que HTML definido como XML application

A partir daqui outras tecnologias/formatos se seguiram, entre elas:

  • XML DOM
  • XSLT
  • XSL-FO
  • XPath
  • XQuery
  • XLink
  • XPointer
  • Schema
  • XForms

Continue reading